Notícias

CRÔNICA – “TERRA PLANA… E SEM ÁRVORES”

CRÔNICAS DA PAISAGEM

“Terra plana… e sem árvores…”

Chegamos a um tempo inacreditável. A terra tornou-se plana, a teoria da evolução virou heresia e a mudança climática é uma teoria da conspiração. Difícil de acreditar que tenhamos evoluído tanto, por tantos séculos, acumulando tantos conhecimentos preciosos, para de repente uma horda de ungidos pela ignorância de séculos, acreditAR que nada disso existe. Acreditam nisso da pior maneira possível, pois não há coisa alguma na face da Terra que possa questionar sua opinião. Decidiram acreditar e ponto. Descartam a lógica do argumento e qualquer explicação serve, desde que se encaixe no que querem acreditar. Realmente… entramos num tempo inacreditável, onde todos os absurdos podem tornar-se verdade.

Poda-torrense-patrimônio-ecológico-I-2019.05

Em Torres, litoral norte do Rio Grande do Sul, sob as mais variadas alegações, as árvores vem sendo atacadas. Grandes árvores, que em dias melhores tiveram proteção, hoje são vítimas dessa visão de mundo empobrecida. Meu desenho captou alguns desses casos. Dois deles, são particularmente emblemáticos. O primeiro é o de uma enorme figueira, que amenizava a paisagem do centro da cidade. Esta figueira há dois anos foi grosseiramente mutilada, restando apenas o enorme tronco e um cenário sem sentido, triste e embrutecido. O segundo caso é o de duas belíssimas figueiras nativas, a duas quadras da Prainha, que formavam um belo recanto, junto a dois bancos pintados com os seguintes dizeres: “estas figueiras pertencem ao patrimônio histórico, cultural e ecológico do município”. Infelizmente, aquelas palavras não as protegiam. Hoje elas estão praticamente mortas. Muitas explicações tem sido dadas, mas todas apontam numa só direção: o descuido beirando o desprezo ao “patrimônio ecológico, cultural e histórico do município”

Poda-torrense-patrimônio-ecológico-III-2019.05

Há mais. Poucos tempo atrás, três árvores localizadas na esquina da rua Julio de Castilhos com Washington Luís foram tratadas de uma forma bastante estranha. Um dia foram podadas e pareceu que ficaria nisso. Mas não. Dias depois, as três foram simplesmente arrancadas, sem deixar sinal de sua presença.

Poda-torrense-II-2019.05

Recentemente ouvi o relato do que aconteceu a uma amiga, algo que em outros tempos, seria simplesmente inacreditável. Em uma sala de aula, ela foi motivo de chacota por parte do professor e dos colegas, por sustentar que árvores são seres vivos… Que alguém acredite que árvore não é ser vivo, já não deve mais nos surpreender. E nem convém, para que possamos superar este tempo, destas verdades obscuras que prescindem da razão e do argumento..

Nesta cidade chamada Torres, ainda tão bonita, ainda tão cheia de belezas naturais, há pessoas que não acreditam em algo tão evidente como as mudanças climáticas, que não dão crédito aos sinais de esgotamento que o planeta vem apresentando há muito tempo, e que agora querem um porto por aqui. Operando na lógica da negação, concebem planos absurdos, como este e outros que ainda estão por vir. Como não leem o que dizem os cientistas, não sabem que este plano alucinado irá literalmente por água abaixo. Para eles, o planeta manda um recado: o tempo desta sociedade de consumo desenfreado, que desdenha a verdade conforme seus apetites, está literalmente contado. Chegamos à encruzilhada.

Jorge Herrmann

As obras que ilustram esta edição, são de autoria de Jorge Herrmann e estão disponíveis para aquisição. São estas, pela ordem: 1) “Poda torrense – patrimônio ecológico I” (grafite sobre papel baseado em apontamento ao vivo – 30×20 cm – R$ 120,00); 2) “Poda torrense – patrimônio ecológico II” (grafite sobre papel baseado em apontamento ao vivo – 30×20 cm – R$ 120,00; 3) ““Poda torrense – as 3 Árvores I” (grafite sobre papel baseado em apontamento ao vivo – 30×20 cm – R$ 120,00); Imagem de abertura: “Poda torrense – as 3 Árvores II (grafite sobre papel baseado em apontamento ao vivo – 30×20 cm – R$ 100,00).

Contatos: arte@jorgeherrmann.com – facebook.com/jorge.herrmannn.7 – (51) 992.407.038 (whatsapp)

Deixe um comentário